terça-feira, 17 de maio de 2011

Nostalgia...

Chove copiosamente la fora... Oiço as gotas baterem vigorosamente nas portas de vidro, como que num chamado outrora familiar, mas que hoje as impede de me molhar. O impeto e impulso de menina pequena e rebelde que  me levaram tantas e tantas vezes a descalçar, fugir da professora com cara de madrasta ou bruxa ma e ir chapinhar nas poças, nao me importando com o severo castigo posterior, nao se igualavam com a sensaçao de tal, ele que viesse, valia a pena, mas com a idade parte desse prazer vai sendo retirado, dando lugar a outros. Nao igualaveis mas naturais...




Ainda hoje, apesar da idade, responsabilidade, peso, nao ter a inocencia ou ingenuidade da menina de 1º ou 2º classe, perco tempo a olhar e sentir a chuva cair-me no corpo, escorrer-me pela face, caracois, sentindo aquele arrepio delicioso que so ela provoca... Nao conheço o termo ou objecto guarda-chuva, excepto por protecçao de quem amo mais que a mim mesma, mas para mim... Nao existe. Nada iguala a sensaçao de estar assim... No meio do "nada", abstraida de tudo e todos, e sentir a essencia da vida escorrer-nos pelo corpo abaixo, e relembro os tempos que revejo agora em geraçoes seguintes. Surge a vontade de perder a noçao de tudo e juntar-me na dança que um dia dançei com a mesma idade, tamanho, sonhos e aspiraçoes... Imensas vezes o fiz e ainda faço, sao recordaçoes que guardo como minhas,ainda alimento. e que sei que serao guardadas da mesma forma que as minhas foram e sao,num bau sem preço, tamanho, forma ou conteudo que valha a pena a nao ser o nosso, o do saudosismo, o da alegria de momentos vividos como nossos ou partilhados, o da alma...

Chove copiosamente la fora... e a nostalgia deixou um travo meio adoçicado, meio amargo... O de poder lembrar momentos volvidos, o de nao os poder pincelar de novo nos tons que deveriam ter sido, o de os poder acalentar e partilhar de forma mais colorida e abrilhantar a vida de quem amo, deixando um travo a algodao doce e traços de arco-iris, como que pintando o quadro perfeito... Deixando-me a mim com vontade de voltar aos tempos encantados de menina rebelde, que fugia da sala de aula, se descalçava e ia chapinhar nas poças...

Amanha o sol nasce e traz com ele outra cor, outra magia, outra vida, mas... como esta... nao ha... cada uma sendo unica na sua forma de ser, sentir e viver.... Vontade de ser menina de novo e poer-me perder nela se pensar em mais nada do que o simples prazer que ela proporciona...

11 comentários:

Venus in red disse...

A chuva, é algo de soberano e belo, cujas gotas no rosto, me dão o descanso e arrepio, o celestial e terreno... enfim, a comunhão perfeita com a (minha)natureza...

Essa nostalgia de que falas (para mim), é um sentir único de tempos idos, mas ainda tão próximos... é reviver, acalentar, sonhar... é o impulso da mente, obrigando(me) ao encanto do hoje!






Basium
(de menina mulher)

Ulisses disse...

...a simplicidade é sempre algo de maravilhoso...

:)

El Solittario disse...

I'm singing in the rain
Just singin' in the rain
What a glorious feeling
I'm happy again

;)


beijo-te á chuva,,,

Stargazer disse...

como eu te entendo nesta delícia de post tão terno...

...a magia da água que tudo limpa, até os resquícios de mágoas que guardamos algures na memória...

Vi-(te), vivi-(te) e revi-(me) neste teu post molhado!

Beijo fresco,

Desejo Evidente disse...

Texto meio triste... terno mas com pinceladas de tristeza. A chuva sempre me deixou nostálgica.

Vintenso disse...

Água é um daueles elementos que nos absorvem, limpam e inspiram.. porque tem uma energia muito própria que nos ioniza!

bjs

DoiSaboresELA disse...

Chuva, cheiro a terra molhada,o corpo em comunhão com a água...
A liberdade que se sente... Tão bom...
Beijos à chuva

1manview disse...

Touch, the most senuous of all our sences, is brought forward by a lone tear or droplets of rain on our face. A lovely piece...

Flowheart disse...

Chove lá fora, e as gotas caiem em meu rosto como se fossem fogo que queima a alma,viro o rosto para cima, é quando as gotas se transformam em saudade, rola uma lágrima que no meio de tanta gota só se destingue pela tristeza do olhar, chove lá fora, e a minha alma se confunde com água, como se chuvesse cá dentro, no meu pensamento...

Bjs 23676-83

Gatuzzi disse...

Triste... Melancólico... Delicioso.

Beijo gostoso

Rei Lagarto III disse...

Senti...